Revisão 4 – 13 de maio 2020

Este novo coronavírus está a obrigar-nos a repensar todas as nossas atividades, especialmente as que acontecem em espaço público.

Na realidade, temos que fazer o que já se fez nos países asiáticos depois do surto de SARS em 2003: proteger-nos e aos outros contra qualquer contágio e aprender a estar preparados para um novo surto no futuro.

O esforço que fazemos hoje não será em vão, e não voltaremos às nossas vidas anteriores mal isto tudo passe. Vamos ter de aprender a viver com este vírus, e todos os aspetos da nossa vida terão de ser repensados.

Por isso, não vale a pena pôr as suas consultas em pausa até o surto passar. Poderia ser uma espera muito comprida, ou até eterna. É muito melhor vermos a adaptação como um processo de aprendizagem, e os resultados deste exercício certamente continuarão, numa forma mais diluída talvez, a existir para sempre.

E isto é uma coisa boa.

Existem áreas da nossa vida que vão ser mais difíceis de adaptar do que outras, mas, apesar de não parecer à primeira vista, os tratamentos da terapia de Bowen é uma das áreas em que as alterações são até simples.

Um tratamento de Bowen, apesar de envolver toque, é uma atividade que envolve 2 pessoas só, em horas combinadas, sem porta aberta, em ambiente muito controlado. Não é uma atividade público, não é uma massagem, não envolve grandes grupos de pessoas, podemos obrigar os clientes a tomar precauções e o tempo que passamos juntos é relativamente curto.

É fácil (mas um pouco chato) adaptarmo-nos. O mais complicado é convencer os nossos clientes de que estamos a fazer tudo da melhor forma possível.

Este é um guia das melhores práticas de hoje. Temos a certeza de que haverá alterações a este texto no futuro, muitas alterações, por isso verifique-o regularmente.

Quando podemos começar a trabalhar?

Existem 2 forças a interagir em relação ao momento de voltar a atender clientes:

  • Legalmente, podemos começar a trabalhar no dia 4 de Maio, apesar de não terem sido definidas oficialmente as medidas a tomar especificamente para as consultas de medicina complementar.
  • Os clientes só aparecerão, no entanto, quando tiverem confiança nas medidas de prevenção do terapeuta.

Isto significa:

  • As medidas que sugerimos neste documento podem sofrer alterações, sendo – neste momento – apenas um conjunto de sugestões.
  • O nosso esforço deve consistir em diminuir o risco até (quase) ZERO
  • Para gerar a confiança necessária junto dos clientes, a comunicação é de extrema importância. Se não sabem o que pretendemos fazer, não conseguem decidir se têm confiança, por isso não vão aparecer.
  • Se decidirmos ‘abrir’ demasiado cedo, não haverá clientes. Se abrirmos tarde demais, os clientes escolherão outro terapeuta. É importante definir o momento correto.

Existe, já, um apoio a fundo perdido para a compra de material necessário para adaptarmo-nos à nova realidade:

Incentivo Reabertura COVID-19

No âmbito dos termos do protocolo com a Direção-Geral da Saúde, o presente apoio pretende financiar as microempresas, nesta fase de reabertura da atividade económica, aos quais serão exigidas medidas de proteção dos trabalhadores e dos clientes às empresas.

Data Abertura das Candidaturas: 11 de maio de 2020

Beneficiários

  • Microempresas (Menos de 10 trabalhadores)
  • Todos os setores de atividade, incluindo: Comércio e Serviços, Alojamento e Restauração, Indústria e Transportes.

Formas do Incentivo, Limites e Taxas

Formas do Incentivo: Os apoios são atribuídos sob a forma de incentivo não reembolsável;

Limites do Apoio – Despesa Mínima Elegível: 500 euros;

Despesa Máxima Elegível: 5 mil euros.

Despesas Elegiveis:

  • Equipamentos de protecção individual para colaboradores e clientes
  • Equipamentos de Higienização e de dispensadores de desinfectantes e consumíveis
  • Reorganização de locais de trabalho e de lay-out de espaços
  • Contratação de serviços de desinfestação
  • Isolamento físico de espaços de produção ou venda 
  • Sinalização vertical e horizontal
  • Custos associados a serviços de entregas e teletrabalho
  • Outros dispositivos de controlo e distanciamento social.

São necessários orçamentos, e  facturas de despesas já efectuadas desde o dia 18/03/2020

Taxas de Financiamento

A taxa de incentivo a atribuir é de 80% das despesas elegíveis, a partir de 18 março (data da declaração do primeiro Estado de Emergência).

Documentos Necessários

  • Certificado PME / Código certidão permanente
  • Declarações não divida Segurança social e Finanças
  • Inscrição da empresa no portal www.portugal2020.pt

Quais são as medidas a tomar para voltar ao trabalho?

Em termos práticos, é necessário tomar medidas para obter, idealmente, o seguinte:

  • O terapeuta não estar doente
  • O cliente não estar doente
  • O cliente não pode ser infetado no nosso espaço
  • O terapeuta não pode ser infetado pelo cliente ou vice-versa

O terapeuta não estar doente

Este é o primeiro passo e seria, idealmente, confirmado ‘oficialmente’.

  • O terapeuta toma todas as medidas necessárias na sua vida privada de diminuir a possibilidade de contágio
  • O terapeuta não trabalha se está com febre ou desconfia que algo não está bem
  • O terapeuta faz um teste à COVID19 regularmente (quando tiverem disponíveis nas farmácias) e torna o resultado público aos seus clientes ou no seu site (nota: a rever cfr. privacidade)

O cliente não estar doente

O terapeuta ou a clínica onde o terapeuta trabalha pode legalmente recusar a entrada a clientes com sintomas.

  • 24/48 horas antes da consulta, é enviado um convite ao cliente para avaliar o seu estado e para decidir não comparecer se está com sintomas ou febre (> 38ºC)
  • É feita uma medição da temperatura do cliente à entrada no espaço de tratamento (ação a coordenar com o espaço onde trabalha, se este for partilhado)
  • Não deve ser permitido aceitar clientes que pertencem a um grupo de risco:
    • idade avançada (70 anos ou mais)
    • pessoas com doenças cardiovasculares
    • pessoas com diabetes
    • pessoas com doença crónica respiratória
    • pessoas com hipertensão
    • pessoas com doença oncológica
    • pessoas com sistema imunitário comprometido

O cliente não pode ser infetado no nosso espaço

É aqui que se concentram as medidas mais publicadas na imprensa.

  • A sala de espera deve (devia) deixar de existir. Os clientes esperam na rua até receberem um telefonema (do centro ou do terapeuta) a convidá-los a entrar.
  • Se decide continuar com a sala de espera, guarde todas as revistas e documentação partilhada e espace as cadeiras a > 2 metros
  • Existe desinfetante à entrada e deve incentivar o seu uso
  • As portas estão abertas (quando possível) para evitar usar os puxadores
  • Os clientes evitam trazer sacos de compras ou outros objetos para dentro do espaço
  • Os clientes não vêm acompanhados
  • Os clientes guardam o seu casaco num espaço seguro. Ninguém ajuda a tirar o casaco.
  • O cliente recebe uma máscara social (50 por 70 €) e cobertura para os sapatos (59 € por 100) à entrada
  • O cliente é convidado a lavar/desinfetar as mãos novamente antes de entrar na sala de tratamento (instruções da DGS visíveis: imprima aqui)
  • Já na sala de tratamento, atrás de biombo, o cliente recebe uma bata de celulose (pouca disponibilidade neste momento) e despe-se, colocando a sua roupa num saco fornecido (aprox. 50 € por 250 unid: link ou link)
  • Se o cliente desejar, pode colocar luvas.
  • Pagamento: preferir pagamento eletrónico, ou melhor, antecipado (MBWay, Transferência bancária…).
  • Pagamento em dinheiro: usar tabuleiro para pagamento e troco. Terapeuta não deve manusear o dinheiro.
  • Depois do tratamento (e eventual pagamento), o cliente deve sair de imediato

O terapeuta não pode ser infetado pelo cliente ou vice-versa

  • Só poderá haver um tratamento de cada vez. Acabaram-se os tratamentos simultâneos
  • O terapeuta veste roupa (pelo menos bata e calças) de utilização única para o dia
  • O terapeuta coloca máscara FFP2 ou KN95 (20 por 92 €10 por 42 €10 por 37 €), proteção ocular e luvas durante o tratamento
  • O terapeuta segue a sequência correta da colocação (instruções detalhadas neste link):
    • Lavar mãos
    • Colocar bata
    • Colocar máscara
    • Colocar proteção ocular
    • Colocar luvas
  • O terapeuta usa viseira (link) + talvez máscara durante a conversa da primeira consulta, ou
  • A primeira parte da primeira consulta poderá acontecer online (via Zoom, Skype ou afins)
  • O terapeuta abre ficha de cliente no computador / tira-a da capa antes do tratamento e depois não volta a tocar até depois do tratamento
  • Entre movimentos, o terapeuta permanece na sala de tratamentos a uma distância correta (>2 metros)
  • Depois do tratamento, o cliente veste-se novamente dentro da sala, coloca a bata de celulose dentro do saco e deita fora o saco (reciclagem!)
  • Agendamento próxima consulta: informa-se o cliente de observar novos indícios de infeção e de cancelar o tratamento seguinte no caso de infeção.
  • Depois do tratamento, o terapeuta desinfeta o espaço o melhor possível com hipoclorito de sódio a 0,1% em spray (20 ml de lixívia em 1 litro de água) e deixa arejar o espaço durante 10 minutos (não sabemos ainda se o vírus se transmite pelo ar em quantidade suficiente para causar doença)
  • Deita a proteção pessoal descartável num balde de lixo com tampa de pé e com saco que se pode fechar
  • Desinfeta a viseira com água e sabão
  • Entretanto, o terapeuta chama o próximo cliente (da rua, por telefone)

Consultas a distância (primeira consulta)

Só uma pequena – mas muito importante – parte do tratamento de Bowen pode ser feito à distância, através de programas como Zoom ou Skype, a Primeira Consulta.

A alternativa – preferencial, mas mais arriscada – é fazer a primeira consulta na sala de tratamentos, mas tal é só possível se existe espaço suficiente na sua sala para manter a distância mínima do cliente e se tem uma viseira.

Para quem ainda não usou este tipo de comunicação, estas são as instruções:

Zoom

Passo 1: Inscreva-se no Zoom: Escolhe o botão ‘SIGN UP- IT’S FREE’ ou ‘REGISTRE-SE, É GRÁTIS’: indique o seu aniversário, o seu email de trabalho e verifique o email de confirmação na sua caixa de correio.

Active a sua conta ao clicar no botão do email, preenche os seus dados e a sua palavra-passe. Pode saltar o ecrã a seguir (Don’t Zoom Alone), e depois clique em ‘Go to my account’

Na página de conta, clique em Meetings, e lá escolha ‘Schedule a New Meeting’ para agendar a sua primeira consulta. Preencha o nome da Reunião, a data e a hora, e escolha as seguintes opções:

  • Desligue Require Meeting Password
  • Ligue Video Host e Participant (ON!)
  • Na secção Audio, indique ‘Computer Audio’
  • Deixe Enable waiting room ligado

Agora, se se enganou algures, pode sempre voltar pelo botão ‘Edit Meeting’

Em My Meetings, procure a frase ‘Join URL’ e copie o endereço para um email.

Envie este email, junto com a data e a hora ao seu cliente. Envie também as instruções de como entrar na reunião.

Antes de poder iniciar qualquer reunião, é necessário ter a aplicação instalada:

Como se trata de videoconferência, convém respeitar as seguintes instruções (que também pode enviar ao seu cliente)

  • Faça uma chamada-teste com alguém na sua casa antes de começar a primeira consulta. Às vezes existem problemas de som e/ou vídeo que se podem facilmente evitar
  • Coloque o computador/telemóvel numa posição fixa antes de começar. Não o segure, ficará com o braço muito cansado
  • Escolhe um lugar perto do router ou modem WIFI. Se o sinal precisa de atravessar paredes, a qualidade diminuirá rapidamente

Comunicação com os seus clientes

É neste momento que o trabalho de fazer uma ficha pessoal por cada cliente dá os seus frutos. A comunicação torna-se muito mais fácil desta forma.

Se ainda não tem os seus clientes todos em suporte informático, talvez seja agora o momento de o fazer. Basta fazer uma folha Excel ou Google Sheets com o nome do cliente (separe o primeiro nome do resto!), o email, o telemóvel e eventuais outros campos que ache importantes.

É este documento que terá de importar num serviço de envio de emails (ver infra)

Ao enviar emails aos seus clientes, tenha em conta as regras de privacidade. Não escreva, por isso, um email com todos os seus clientes em CC ou BCC. Antigamente isto era aceite, mas agora é provável que todos os emails irão acabar no SPAM e ninguém recebe nada. Também pode ficar com a conta bloqueada.

Pode enviar um email privado a cada um dos seus clientes (muito trabalhoso se tem muitos clientes) ou usar um serviço como Sendgrid, Mailchimp ou Mailjet (grátis ate 100 ou 200 emails diários. Todos estes serviços têm função de importação de contactos)

Veja aqui um template de email que pode usar como base.

Links úteis

 Links úteis: